Como sobreviver a vôos internacionais

Preciso fazer uma confissão: eu adoro viajar, mas voar de avião não é das minhas atividades preferidas. Além disso, eu sou relativamente alta (tenho 1.75m), o que diminui bastante o espaço para as minhas “perninhas”, comprometendo o meu conforto em vôos longos. Ao longo dos anos, fui aprendendo alguns truques para viajar melhor e hoje vou compartilhar alguns deles por aqui. Obviamente, estou falando aqui de voar na lata de sardinha que é a classe econômica!

blog2
Perninhas apertadas!

 

2. ESCOLHENDO OS VÔOS – Dependendo do destinos e das datas escolhidas, pode ser que você tenha que escolher entre várias opções de vôo para cada trecho. Em geral, eu não gosto de fazer conexões muito corridas, prefiro reservar pelo menos 2h no aeroporto da conexão, principalmente se sei que vou ter que fazer imigração ou pegar e redespachar malas. Para mim, é mil vezes preferível esperar um pouco na sala de embarque (de preferência, tomando um bom café ou fazendo um lanchinho), a sair correndo enlouquecidamente por um aeroporto que não conheço direito, ou, pior ainda, perder um vôo! Aqui, vale também a pesquisa! Uma simples busca no google do tipo “como é fazer conexão no aeroporto X” pode te dar uma boa idéia de quanto tempo você precisa entre vôos na sua conexão. Se você está inseguro, pesquise também o mapa do aeroporto onde vai fazer essa parada, para pelo menos ter uma noção do que lhe espera. Se os preços forem semelhantes, eu escolho conexões em aeroportos que já conheço!

blog3
Servidos?

 

3. ESCOLHENDO OS ASSENTOS – aqui, de novo, tem a questão pessoal. Eu gosto da janela! Acho mais fácil dormir encostada na “parede” do avião. Claro, tem a questão de pedir licença para o seu companheiro (ou companheiros) de assento quando você quiser ir no banheiro, mas eu nunca tive problemas quanto a isso (mas eu não sou daquelas pessoas que precisa ir no banheiro a cada 20min). Antes de escolher o meu assento, eu sempre dou uma olhadinha no Seat Guru. É bem fácil, você informa a companhia aérea, o número do vôo, a data que vai voar e ele te apresenta o mapinha do avião. No mapa do avião, você vai ver que alguns assentos estão em vermelho (devem ser evitados) e alguns estão em amarelo (porque possuem algum porém). O fato de estar em amarelo não quer dizer que você deva evitar esse assento, eu recomendo ler os comentários sobre esse assentos e decidir se esse porém é algo que lhe incomodaria ou não. Em alguns casos, o porém pode ser porque um determinado assento está muito próximo dos lavatórios, o que pode significar que você ouça barulhos de descarga, ou se incomode com a circulação de pessoas. O Seat Guru também diz que esses assentos podem ter reclinação limitada. Eu já voei nesses assentos e nada disso me incomodou, pelo contrário, achei ótimo não ter alguém sentado atrás de mim chutando o meu banco, com certeza, escolheria esse assento de novo!  Outra coisa é a posição dos assentos em relação ao avião: quanto mais perto da asa (ou seja, perto do centro de gravidade do avião), menos você vai sentir a turbulência. Claro, escolher um assento beeeem atrás dá a você mais chances de que ninguém sente ao seu lado, as pessoas em geral dão preferência para os assentos na frente ou no meio do avião. Você tem que avaliar essas coisas e pensar sobre o que você prefere. Eu odeio turbulência (já falei que não gosto de voar?), então prefiro ficar com meu assento na janela, perto da asa (sem mencionar que normalmente a comida é servida da frente do avião para trás).

4. MALA DE MÃO – A nossa expert em malas em breve vai falar mais sobre isso, mas eu vou fazer algumas considerações. Primeiro, para se movimentar nos aeroportos, mochilas são mais práticas do que aquelas malas de rodinhas (se imagine sozinho, sem aqueles carrinhos de aeroporto, tentando lidar com duas malas grandes mais uma mala de mão de rodinhas…). Na minha mala de mão, sempre tem uma muda de roupa, incluindo pijama e roupas íntimas – imagine-se sendo colocado em um vôo no dia seguinte, em função de um overbooking, minutos após a companhia aérea perder suas duas malas despachadas (sim, isso já me aconteceu!), ou chegar no destino e as malas não chegarem junto (também aconteceu) – você precisa ter no mínimo uma troca de roupa para esses caso. Além disso, remédios que você possa precisar (eu levo algum antialérgico e tylenol ou outro remédio para dor), bepantol para evitar o ressecamento das mãos e dos lábios (isso é dica para a vida!) e aqueles artigos de primeira necessidade (escova de dentes e pasta, desodorante, óculos e lentes de contato, etc), tudo que você pode precisar durante o vôo ou no primeiro dia de viagem, caso suas malas se percam, tem que estar na mala de mão. Além da mala (mochila!) de mão, eu levo uma bolsa como meu item pessoal. Eu não gosto de ficar levantando para mexer na mala que fica nos compartimentos aéreos, então na bolsa fica o meu livro, tablet, celular, uma pashmina ou manta levinha (fica frio no avião!), além de chicletes e algum lanchinho.

blog5
Nada como sentar no chão do aeroporto para, literalmente, recarregar as baterias!

 

5. QUE ROUPA USAR – Juro que não entendo pessoas que viajam de salto alto, ou de saia. Para mim, roupa para vôos longos é a roupa mais confortável possível, estilo mendigo chique mesmo! Eu tenho praticamente um uniforme de viagem: a calça jeans preferida (já usadinha e molinha), uma blusa larguinha meia manga, casaquinho de moletom e uma jaqueta (que vai ser a mesma que eu vou usar durante toooda a viagem) – já falei que eu sinto frio no avião? Quanto aos sapatos, para mim, não tem dúvida: tênis!! Pés incham em vôos! Use tênis mas não deixe ele muito apertado. E sob hipótese alguma tire os sapatos durante o vôo! Seu pé pode inchar e você não vai conseguir colocar os sapatos de volta! Evite acessórios, lembre-se que viagem internacionais envolvem diversas passagens por detectores de metais, você não quer ficar tirando um cinto por causa da fivela metálica toda vez, né?

6. DISTRAÇÕES  E OUTRAS DICAS – Eu normalmente consigo dormir em aviões (e carros e meios de transporte em geral), mas mesmo assim, eu levo algumas distrações caso o sono não venha. Nada pior do que passar 10 horas presa em uma lata de sardinha sem nada para fazer. E não, eu não confio no sistema de entretenimento do avião! A neurótica aqui leva o tablet cheio de filmes (e um carregador extra). Por algum motivo, eu não gosto de ler com o avião em movimento, mas eu levo um livro para me distrair durante as conexões nos aeroportos. Tente evitar comidas muito pesadas/temperadas na véspera e no dia do vôo. E o básico do básico: beba MUITA água! A maioria das cias áreas oferecem copinhos de água fechados mais de uma vez durante o vôo, aceite (e beba!) todos.

blog4
#partiuférias!
Anúncios

Um comentário sobre “Como sobreviver a vôos internacionais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s